Palestrantes destacam avanços com radiofrequência e em psoríase no primeiro dia de ICAD Brazil

Os avanços nos tratamentos com radiofrequência e em psoríase foram alguns dos destaques do primeiro dia de palestras no ICAD Brazil – maior Congresso de Dermatologia, Medicina Estética e Envelhecimento Saudável da América Latina.

 

O evento, que está sendo realizado até sábado no Centro de Convenções Frei Caneca em São Paulo, reúne mais de 200 palestrantes nacionais e internacionais em três auditórios simultâneos. O congresso conta ainda com 70 expositores e patrocinadores.

 

No auditório de Medicina Estética, a dermatologista Daniela Landim defendeu o uso da radiofrequência, por meio do aquecimento, nos procedimentos de harmonização facial. “O tratamento é muito bom para linhas finas e de toda a flacidez facial – principalmente na área de pálpebra e contorno mandibular”, explica.

No auditório de Medicina Estética, a dermatologista Daniela Landim defendeu o uso da radiofrequência, por meio do aquecimento, nos procedimentos de harmonização facial. “O tratamento é muito bom para linhas finas e de toda a flacidez facial – principalmente na área de pálpebra e contorno mandibular”, explica.

 

Segundo ela, a radiofrequência pode tratar toda a derme e oferecer uma melhora de toda a face em geral. Um dos diferenciais da radiofrequência é justamente o efeito de harmonização facial. O procedimento trata não apenas a região recomendada, mas a área como um todo. Isso porque a radiofrequência não precisa de alvo – sua distribuição é uniforme em tempo real.

 

A médica também afirma que os resultados já podem ser vistos de imediato. “Esse calor retido vai retificar a estrutura e produzir o colágeno imediatamente. Os demais resultados levam de 70 a 90 dias para serem percebidos”, explica. De acordo com a médica, um grande diferencial do procedimento é o resultado que ele proporciona, obtendo até 42% de melhora nas rugas finas e 33% na aparência global. “Além disso, a radiofrequência também proporciona 92% de melhora subjetiva, após três meses de tratamento”, garante.

 

Psoríase

 

Mais de 125 milhões de pessoas são acometidas pela psoríase no mundo. O tratamento com imunobiológicos podem trazer resultados eficientes para uma considerável qualidade de vida do paciente. A conclusão foi apresentada pela médica Carla Bortoloto em palestra no auditório Terapêutica Dermatológica, que trabalha com medicamentos imunobiológicos no Brasil.   

 

“Daqui para frente, teremos tecnologias muito melhores e biológicos com mais segurança, eficácia e mais específicos para cada um. Por isso, vale a pena acompanhar essa evolução dos biológicos para a dermatologia”, comenta a médica, que acredita que o medicamento poderá ser usado no futuro próximo também em outras doenças auto imune, como: lúpus, alopecia areata, enxerto versus hospedeiro e até algumas síndromes.

 

No âmbito internacional, as palestras dos médicos Nenad Stankoviv, da Sérvia, e Julio Ferreira, da Argentina, atraíram a atenção dos participantes. O primeiro falou do rejuvenescimento periorbital e a combinação de tratamentos não cirúrgicos para melhores resultados com tempo de inatividade, enquanto o segundo palestrou sobre os tratamentos das hiperpigmentações, respectivamente.

 

Feedback

 

Pela primeira vez no evento, o dermatologista Frederico Gontijo gostou dos temas abordados na grade da programação. “Minhas expectativas foram correspondidas”, revela o médico de São Paulo. O médico Iuri Tenório, que atua como dermatologista em Mogi Mirim (SP) que veio ao evento pelo segundo ano consecutivo, elogiou as novidades em relação aos produtos dos expositores e patrocinadores. “Como é a segunda vez que compareço ao evento, notei mais novidades em produtos, e como sugestão para a edição de 2019 recomendaria convidarem mais laboratórios, como La Roche e Mantecorp, por
exemplo”, sugeriu.

 

Segundo a médica Gabriela Jachuck, que atua em clínica geral em Avaré (SP), o que a estimulou a comparecer ao evento foi o tema do envelhecimento saudável, pois diz desconhecer outro congresso que aborde a temática. “Também gostei muito da palestra de Gestão de Clínicas, pois nós médicos não somos preparados na Faculdade para gerenciar o negócio e hoje isso, isso é imprescindível”, comentou. 

 

Informações: www.icadbrazil.com.br

Assessoria de Imprensa ICAD Brazil